Karla Martins

BLOG

Fica atualizado sobre as últimas novidades e tendências do LinkedIn e gestão de carreira.

Mostre o seu Trabalho no LinkedIn

Karla Martins

01/05/2020

No Responses

No livro Mostre o seu trabalho — 10 maneiras de compartilhar sua criatividade e ser descoberto, Austin Kleon revela como ser reconhecido pelo seu trabalho através do posicionamento nas redes sociais.

mostre o seu trabalho no linkedin

Neste artigo eu analisarei alguns insights do livro, adaptando-os para o LinkedIn, de forma a ajudá-lo a se posicionar como especialista nesta rede social profissional. 

E por que você deve mostrar o seu trabalho no LinkedIn?

Porque quando mostramos a nossa forma de trabalhar e o conhecimento que temos sobre uma determinada área, somos reconhecidos como especialistas.

Este reconhecimento é o primeiro passo para a construção de autoridade no LinkedIn. Resultados como encontrar um emprego, mudar de profissão, mudar de carreira, encontrar clientes, encontrar o candidato ideal e gerar mais vendas, não tardarão a aparecer.

Vamos aos insights do livro, abordados pela ótica do LinkedIn.

Você quer corações, não olhos

“Pare de se preocupar com a quantidade de seguidores que tem na internet e comece a se preocupar com a qualidade deles.”

Quando faz essa afirmação no livro, Kleon deixa clara a importância de conhecermos o nosso público alvo. Portanto, antes de seguir na leitura deste artigo pense em quem você quer atingir com a sua mensagem.

No LinkedIn não é diferente. De nada adianta ter milhares de conexões se essas pessoas não fizerem parte do seu público de interesse. Por outro lado, ser demasiado restritivo na hora de aceitar ou convidar outros profissionais para a sua rede limita o surgimento de oportunidades.

O número de conexões no LinkedIn é sim importante para o Networking, afinal se falarmos apenas com as pessoas que já conhecemos não estaremos a ampliar as possibilidades de resultados. Por outro lado, a qualificação dessas conexões é igualmente importante.

Quantidade e qualidade devem andar juntas.

Eu costumo orientar os meus alunos e clientes a considerarem 3 estratégias de conexão no LinkedIn. Cada uma delas apresenta as suas vantagens, a depender do objetivo de cada profissional.

Pense bem antes de escolher a melhor estratégia e lembre-se que a quantidade de conexões não é garantia de resultados. Não há um número ideal, cada um deve definir o que é melhor para si, entretanto algo entre 1.000 e 3.000 será a melhor opção para a maioria dos profissionais.

Ensine o que sabe

Divida os seus segredos comerciais.

Ensine o que sabe

Pode parecer loucura contar os seus segredos enquanto especialista, mas não é bem assim. Vou dar o meu próprio exemplo, eu partilho dicas e orientações sobre LinkedIn quase que diariamente e isso não diminui o número de clientes e alunos que me procuram.

Ao mostrar o meu trabalho no LinkedIn, oferecendo conhecimentos de forma gratuita, sou reconhecida como autoridade. O resultado é que as pessoas que estão dispostas a aprender mais chegam até mim, ou porque viram algum conteúdo que publiquei ou porque foram indicadas por alguém que viu.

A produção de conteúdos é a melhor forma de divulgar o seu trabalho. Ao mostrarmos o nosso processo de trabalho, ou ao ensinarmos algo, geramos curiosidade e ganhamos a atenção das pessoas. E num mundo superlotado de informações, a atenção é um ativo precioso.

Você pode escrever um artigo como este, gravar um vídeo ou podcast, criar imagens, contar histórias. São muitas as formas de mostrar o seu trabalho de forma interessante de modo a despertar no seu público sentimentos de admiração, respeito e gratidão.

É claro que a maioria destas pessoas não passará da fase de consumidores de conteúdos. Entretanto, para uma fatia deste público, surgirá o desejo de contratar os seus serviços ou de comprar o seu produto.

Aprenda a apanhar

Quando coloca o seu trabalho no mundo, é necessário estar pronto para o bom, o mau e o feio. Quanto mais pessoas se depararem com o seu trabalho, mais críticas enfrentará.

No LinkedIn esta afirmação tem a ver com o medo da exposição, a maior barreira que eu verifico nas mentorias e cursos que dou. Por se tratar de uma rede social profissional, as pessoas têm receio de serem mal interpretadas, ou mesmo prejudicadas, por exporem as suas opiniões.

Se este é o seu caso, deixo 3 reflexões:

1 – Mostre o seu trabalho para ser reconhecido.

Se você não mostrar os seus conhecimentos e competências, as pessoas não terão como adivinhar o profissional incrível que é.

E não ache que basta que as pessoas que conhece pessoalmente saibam do seu valor. Primeiro porque nem sempre esta é a realidade. Em segundo lugar, que mal tem utilizar uma rede social profissional para ampliar a sua visibilidade e influência?

Não confunda marketing pessoal com querer enganar as pessoas sendo quem não é. Identifique os seus diferenciais e mostre o seu trabalho no LinkedIn. Desde que suas ações sejam baseadas na verdade, ética e profissionalismo, não há nada de errado em querer se destacar na multidão.

2 – Mostre o seu trabalho, mas não tente agradar a todos.

Uma amiga uma vez me contou sobre a regra dos 33. Essa regra diz que 33% das pessoas será indiferente aos nossos conteúdos, 33% irá apreciar e 33% não vai gostar.

Concentre-se nos 33% que irão se identificar consigo e com o que tem a partilhar. Serão essas pessoas que irão apoiá-lo, indicar o seu trabalho e mesmo contratar os seus serviços.

Acredite em mim, durante todo o tempo em que estou no LinkedIn, as mensagens de incentivo, gratidão e reconhecimento pelo meu trabalho superaram de longe as críticas. Sem falar nos clientes, alunos, convites para ser oradora em eventos e até o convite para escrever o capítulo de um livro.

Todas essas oportunidades chegam porque eu sei muito bem o que quero e o que não quero do LinkedIn. E não tento agradar a todos 🙂

3- Mostre o seu tabalho com bom senso.

Trate as pessoas como gostaria de ser tratado e use as palavras com moderação. O LinkedIn não é uma plataforma para medir forças e ninguém é dono da verdade. Pelo contrário, o diálogo construtivo será sempre bem-vindo, mesmo quando discordamos de algo.

Compartilhe um pouco todos os dias

“Não mostre o seu almoço ou o seu café, mostre seu trabalho.”

A regularidade é muito importante para a obtenção de resultados, bem como a consistência dos conteúdos publicados. Entretanto, ninguém espera que você escreva uma tese de mestrado por dia, e nem mesmo um artigo como este.

Há formas mais fáceis e rápidas de manter-se visível no tempo que tem disponível. Por exemplo, tirar uma fotografia do livro que está lendo e publicá-la juntamente com a lista de insights que teve com a leitura.

Também pode fazer curadoria de conteúdos, afinal já há tanto material de qualidade disponível na internet. Basta escolher um artigo de blog, ou matéria de jornal, por exemplo, e fazer uma análise sobre o mesmo. Escolha conteúdos relacionados a sua área profissional e lembre-se de sempre citar o autor.

Mas não pare por aí. Para ser reconhecido como autoridade você precisa criar conteúdos originais. Sugiro que você publique ao menos um conteúdo próprio por semana, que pode ser um post mais longo (máximo 1.300 caracteres) no qual dê dicas, conte uma experiência ou analise uma situação relativa a sua área de atuação.

Se puder escrever um artigo, ou gravar um vídeo, de vez em quando, melhor ainda. O artigo é uma excelente forma de mostrar que tem conhecimentos mais aprofundados sobre um determinado tema. E o vídeo é uma maneira eficaz de se aproximar da sua audiência, pois as pessoas gostam de nos ver e ouvir.

Venda-se!

“As pessoas precisam comer e pagar o aluguel.”

vender no LinkedIn

Deixei este tópico por último pois vender no LinkedIn exige alguma sensibilidade. Se por um lado, todos precisamos ter rendimentos com o nosso trabalho, por outro focar apenas na venda é um tiro no pé.

Ninguém gosta de receber apenas mensagens com a divulgação de produtos ou serviços. É invasivo e acaba por afastar o potencial cliente, ao invés de atraí-lo.

Como fazer então?

Mostre o seu trabalho no LinkedIn, ora essa!

Esta é a forma mais sutil de “vender” os seus serviços/ produtos ao potencial cliente, sem aborrecê-lo. Ao mostrar o que faz, você deixa o caminho aberto para que o seu público chegue até você.

Isso não quer dizer que você nunca irá publicar um conteúdo comercial no LinkedIn, e sim que estas publicações devem ser em número muito menor em relação às que oferecem valor ao seu público de forma gratuita. É questão de achar o equilíbrio ideal em cada situação. Alguns profissionais nunca precisarão publicar algo relativo a venda, depende do negócio e do posicionamento escolhido.

Conclusão

Mostrar o seu trabalho no Linkedin é uma excelente forma de posicionar a sua Marca Pessoal nesta rede. Entretanto, é preciso ter estratégia e paciência para aguardar pelos resultados.

O meu conselho é que comece onde está e com os recursos que tem. Quanto antes der o primeiro passo, mais rápido alcançará os seus objetivos.

E se quiser ir além no LinkedIn, conte comigo. Posso ajudar a aumentar a presença e obter resultados nesta rede através de cursos e mentorias.

Procura algo?

Redes Sociais

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência em nosso site.

Fique por dentro das novidades!

Faça parte da minha Newsletter